A Itália De Cada Um

a italia de cada uma italia de cada um

A Itália De Cada Um – Nossos Sommeliers Contam Suas Experiências

Sem dúvida, a Itália é um país encantador e com muita diversidade. Nossa equipe foi até lá explorar e descobrir curiosidades locais.

Sem dúvida, a Itália é um país encantador e com muita diversidade. Nossa equipe foi até lá explorar e descobrir curiosidades locais.

Cada integrante obteve experiências distintas – e engraçadas – que valem a pena ser compartilhadas.

Confira nossas aventuras na terra de Baco – considerado na mitologia romana o deus do vinho.

Jô Barros – Sommeliere Sonoma

A nossa sommeliere Jô Barros esteve diversas vezes no país para pesquisar sobre a gastronomia e seus famosos vinhos.

Sua experiência mais interessante?

“Foi um dia bem agradável na vinícola Antinori Guado al Tasso, na cidade de Bolgueri. Foi delicioso, era um dia de verão e pudemos apreciar seus maravilhosos vinhos em um piquenique”, relembra.

Jô considera o país perfeito para uma viagem romântica, e ressalta alguns pontos fortes que marcaram sua visita ao país.

“Tudo estava perfeito: a temperatura, a queda das folhas das árvores, o Parmiggiano Regiano servido em fatias finas com morangos por cima, tudo isso acompanhado por um Brunello de Montalcino com 12 anos de guarda – que tem uma suavidade tão persistente que o seu gosto ainda é fresco na memória ”, conta.

Para ela, os melhores meses de visitação são os que antecedem o verão, como o final de abril, maio e início de junho, já que são menos quentes e propiciam longas caminhadas pelas cidades da Itália.

Edson Barbosa – Diretor de Produtos Sonoma

Em contrapartida, o diretor de produtos Edson Barbosa, não tem apenas boas recordações do país.

“Obviamente a terra é cheia de beleza. Sua comida é maravilhosa e os vinhos, nem se fale.

No entanto, uma viagem à ‘bota’ pode ser bem estressante se você não estiver bem preparado. Eu, por exemplo, não estava”, relembra.

Segundo Edson, o que mais o incomodou foi o estilo rude e briguento dos italianos. “Muitas vezes me senti agredido com o descaso com o qual era tratado e qualquer reclamação era respondida com uma fala alta sem, ao menos, olharem na minha cara.

Isso sem contar a insistente mania de quererem levar vantagem em cima dos turistas. Porém, esse também é um hábito frequente no Brasil”, admite.

Depois de alguns dias desapontado com o país, Edson achou uma solução: agir como os romanos. “Deixei a polidez do estrangeiro de lado, adotei o meu pior inglês e aprendi algumas palavras, digamos que ‘importantes’.

Soltava o verbo em alto e bom tom e saía andando e cantando. As coisas não mudaram muito. Seguiam pouco atenciosos, gritando e cobrando preços abusivos, porém, a comunicação ficou bem mais fácil.

E, no final das contas, ri bastante e me diverti. Para quem pretende visitar o país, lembre-se: se for à Itália aprenda a ‘brigar’ em italiano. Pode ser muito útil”, diverte-se.

Alykhan Karim – CEO Sonoma

Já, Alykhan Karim, nosso CEO, visitou o país aos 20 anos de idade e, assim como qualquer turista jovem, adorou as festas e, claro, as italianas.

“Gostei muito dos queijos incríveis que tem por todos os lados em Roma, os sorvetes maravilhosos, o café, o Coliseu… e as garotas italianas”, brinca. Para Alykhan, o único ponto negativo foi alto custo.

“O país não é barato para estudantes com orçamento pequeno. Na época, estávamos sem muito dinheiro. Inclusive, meu melhor amigo decidiu dormir fora uma noite e passou a madrugada em um banco, em uma das inúmeras praças, só para economizar.

Mas, acabou se saindo mal, pois era inverno”, conta, aos risos. Segundo ele, a melhor experiência gastronômica na Itália foi no próprio hotel em que estava hospedado. “Conhecemos um grupo de catalães e napolitanos que decidiram cozinhar.

Fizeram uma massa simples e um molho de ragu. A comida, que rendeu para dez pessoas, deve ter custado apenas dez euros e, mais uns dez, para as cinco garrafas de vinho.

A noite foi perfeita”, complementa.

Apesar de cada integrante da equipe ter tido experiências diferentes – umas boas, outras nem tanto – os três são unânimes quando questionados se voltariam à Itália.

“Com certeza”, disseram quase que em sincronia. As histórias e relatos de nossa equipe só ajudam a aguçar mais o desejo de conhecer esse país encantador que, sem dúvida, é capaz de proporcionar experiências únicas.

Mas, não se esqueça da “dica importante,” citada pelo nosso diretor de produto. Capisce?

Por Andressa D’Amatto

Experimente um bom vinho italiano

Leave a comment

Your email address will not be published.


*