Desvalorização do Real e ST aumentam o preço do vinho

De Uma Hora Para Outra, As Castanhas Viraram Sinônimo De Saúde.

O vinho fica mais caro, mais uma vez, por conta de impostos e também pela desvalorização do real.

Tanto o dólar como o euro aumentaram, isso significa que o vinho custa mais reais do que custavam antes.

Por enquanto ainda há vinhos dentro do mesmo preço, mas logo isso mudará em função de novas compras no exterior. Não há como mudar esse fato.

Outro fator é que a ST aumentou um pouco pois o IVA (Índice de Valor Agregado) aumentou também e ele é a base do cálculo da ST.

Entenda o que é isso

O valor agregado é a diferença entre o preço que o comércio paga pelo vinho e o valor que ele vende o vinho ao consumidor final.

Sobre esse valor o governo de São Paulo cobra 25% de ICMS que é o imposto sobre a circulação de mercadoria. Imposto que não existe em muitos países, diga-se.

Mas como o governo não quer fiscalizar todo o comércio, ele criou uma aberração chamada ST, ou substituição tributária.

A ST foi implantada em março de 2008 para bebidas alcoólicas, entre outros produtos, em diversos Estados brasileiros, incluindo São Paulo, onde se concentra, mais de 50% do consumo de vinhos do país.

A aplicação do sistema de Substituição Tributária não deveria resultar em aumento de preços, uma vez que visaria fazer com que o primeiro elo na cadeia de comercialização das bebidas pagasse todo o ICMS que seria pago pela cadeia inteira.

Além de antecipar o recolhimento do imposto, o sistema tornaria mais fácil a fiscalização, já que seriam menos empresas a fiscalizar.

Acontece no entanto, que pequenas lojas sujeitas ao regime do SIMPLES e restaurantes, que trabalham em um regime especial, tiveram seus preços aumentados.

O ICMS sobre vinhos é de 25%, exceto para os restaurantes, que pagavam 3.2%, e para lojas no SIMPLES, que pagavam 2.25%.

Em sua forma atual, a ST eliminou essa vantagem e as bebidas vendidas por restaurantes e pequenas lojas passam a pagar também 25%.

Agora de tempos em tempos o governo faz novo levantamento e corrige essas margens para atualizar seu imposto.

Esta semana o imposto de 25% cobrado sobre um IVA de 58% passou a ser cobrado sobre uma margem de ganho de 62,26% como forma de correção do que é praticado no mercado em média.

Isso resultará em um aumento de mais 1,5%.

Foram dois meses de angústia do setor do vinho, pois o governo publicou no Diário Oficial que a correção seria de 109,62%! Um aumento absurdo e sem base de estudos científicos.

Com dinheiro da Abrabe, Abba e Ibravin a FIPE fez um levantamento técnico e mostrou o erro do governo que decidiu então pelos 62,26%.

Foi como colocar o bode no quarto para depois retirá-lo. Este é apenas um dos inúmeros impostos que totalizam mais de 85% no preço final de uma garrafa de vinho importado.

E assim é que se paga no Brasil o mais alto preço por uma garrafa de vinho. Mais uma razão para você saber das melhores ofertas entre qualidade e preço.

Por Didu Russo

Os melhores vinhos você encontra na Sonoma

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aprenda mais sobre o universo do vinho.

Cadastre seu e-email e receba atualizações notícias e promoções

Por favor, verifique seu email. Por favor, verifique sua cidade.
O que falam da gente

Quer saber mais da Sonoma? Clique em algumas destas matérias para saber mais sobre a empresa.

Close
© 2020 SONOMA. Todos os direitos reservados. Se beber não dirija. Aprecie com moderação. A venda de bebidas alcoólicas é proibida para menores de 18 anos.
Close