Campanha Gaúcha

A Campanha Gaúcha vem trabalhando junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para conquistar o status de Indicação Geográfica (IG), um selo equivalente ao DOC italiano e ao AOC francês. O esforço é merecido, afinal, a região vem crescendo na produção de vinhos, sendo considerada, hoje, o novo polo do setor, ampliando seus vinhedos (as mais novas parreiras são de Santa Colina e Château Lacave), que acabam fornecendo uvas para as vinícolas da vizinha Serra Gaúcha.

A Miolo é uma das empresas vizinhas que se beneficia da produção de uvas na Campanha Gaúcha. Em parceria com o locutor Galvão Bueno, administra e vinifica dois vinhos da Bellavista Estate: o espumante Bueno Cuvée Prestige e Bueno Paralelo 31, que é um corte de Cabernet, Merlot e Petit Verdot.

Vinícolas de renome como Dom Pedrito, Peruzzo e Salton estão situadas na Campanha Gaúcha, trazendo vinhos de alta qualidade para o resto do país. Porém, a pioneira foi a Almadén que, após ser comprada por investidores estrangeiros (Pernod Ricard), voltou a pertencer ao capital brasileiro pelas mãos da Miolo. Seus vinhos tintos principais são de Cabernet, Merlot e Tannat, enquanto os brancos são feitos de Sauvignon, Chardonnay e Riesling.


Quer saber mais? Veja também outros artigos relacionados.