Uma das práticas mais tradicionais do processo de vinificação é a pisa das uvas.

Apesar de ser um costume arcaico, considerado muitas vezes como antiquado, a pisa das uvas ainda é praticado em algumas vinícolas pequenas.

Os mais tradicionais acreditam que amassar as uvas com os pés proporciona melhor qualidade à bebida e vinícolas seculares ainda praticam apenas para os melhores rótulos, principalmente os fortificados do Douro, em Portugal.

No método de pisa das uvas, depois da colheita, elas são depositadas numa espécie de tanque chamado lagares, e pisoteadas.

Uma vez esmagada, a polpa da uva se separa da casca e caroço, dando origem ao mosto. A partir de então, o mosto passa pelo processo de fermentação.

Com a modernização da produção vitivinícola, a pisa das uvas foi substituída por métodos mecanizados, de modo a aumentar a eficiência da produção.

Além disso, a mecanização dá maior precisão ao enólogo sobre a qualidade do vinho obtido.

O ato considerado romântico e, de certa maneira, até folclórico, era comum em celebrações do início e final da época de colheita, a vindima. No Brasil, é possível ver a pisa das uvas, e inclusive praticar, em Bento Gonçalves, no Armazém de Cantinas Históricas.

Por Sonoma Brasil

Conheça nossa variedade de vinhos


Quer saber mais? Veja também outros artigos relacionados.