Vinho fortificado

O vinho fortificado é famoso por seu alto teor alcoólico e sabor doce. O que poucos sabem é como esses resultados são obtidos na bebida.

O vinho fortificado é famoso por seu alto teor alcoólico e sabor doce. O que poucos sabem é como esses resultados são obtidos na bebida.

Um vinho fortificado é aquele que recebe uma adição de aguardente vínica ou uma bebida destilada, como o conhaque, durante sua produção. Esse processo fortifica o teor alcoólico do vinho.

Além disso, a aguardente vínica ou o conhaque tem o poder de matar as leveduras do vinho, interrompendo o processo de fermentação. Isso significa que parte do açúcar que seria transformado em álcool continua presente na bebida, dando um sabor mais adocicado ao vinho.

Esse processo surgiu há muitos anos e com uma finalidade: melhorar a conservação do vinho, podendo armazenar a garrafa da bebida por muito mais tempo.

Mesmo com o uso de tecnologias para melhorar a conservação da bebida, o vinho fortificado continua a ser fabricado, devido aos seus sabores diferenciados e atraentes.

O vinho do Porto é, provavelmente, um dos fortificados mais conhecidos. Ele é produzido com uvas da região do Douro, no norte de Portugal, armazenado e distribuído pelo Porto, mais especificamente por Vila Nova de Gaia.

Outro exemplar famoso é o vinho espanhol Xerez. Curiosamente, este vinho é fabricado com uvas brancas, ao contrário do vinho do Porto e do Madeira. O processo de fortificação do xerez também é diferente, pois, am alguns casos, é feito após a fermentação. Por isso o Xerez é um pouco mais seco do que os demais vinhos fortificados.

Por Sonoma Brasil


Quer saber mais? Veja também outros artigos relacionados.