Ares do Mediterrâneo

nqsnlmwtaprytmha3ahqnqsnlmwtaprytmha3ahq

Ares do Mediterrâneo

A culinária mediterrânea tem um jeitinho próprio, rico e especial. É gostosa e mais saudável!.

A culinária mediterrânea tem um jeitinho próprio, rico e especial. É gostosa e mais saudável!

Os países do Mediterrâneo possuem várias coisas em comum: passados históricos, povos que fizeram parte de suas culturas, climas específicos. Tudo isso faz com que a culinária mediterrânea tenha um jeitinho próprio, muito rico e especial. E, além de gostosa, ela é mais saudável!

O mar Mediterrâneo era uma antiga zona privilegiada de contatos culturais: egípcios, fenícios, gregos, romanos e mais um monte de povos importantes habitaram e se desenvolveram na região, que hoje em dia compreende partes da Europa, África e Ásia.

Essas culturas deixaram marcas importantíssimas nas tradições e na mesa. As oliveiras, os citrinos e as ervas são típicas da dieta mediterrânea. Esse é um dos motivos pelo qual essa culinária é bem vista: o uso do azeite de oliva e de ervas de cheiro deixa a comida mais saborosa, sem apelar para ingredientes gordurosos ou pesados.


Vamos lá! Primeira coisa importante dessa culinária: o trigo. Ele é a base da alimentação mediterrânea, desde os tempos antigos. Na África, por exemplo, o pão é achatado (como um envelope, onde se coloca recheiros diversos). Já na parte europeia, o pão tem mais volume e pode ser cortado em fatias, apesar da pizza ser uma variação do pão achatado. O trigo também aparece em massas frescas como o espaguete, o cuscus da África ou o injera, da Etiópia.

Os legumes, frutos e especiarias são outro carro forte dessa culinária. As azeitonas e as uvas são bem típicas da região, e por isso são muito aproveitadas, assim como as ervas, como a salsa e a hortelã. Usar legumes e frutas de vários jeitos é um dos motivos dessa culinária ser tão bem vista aos olhos dos que querem cuidar do bem-estar.

Daí surgiram as saladas, que além de muito leves e nutritivas são extremamente saudáveis. E não estamos falando de uma saladinha simples, não! Variações com iogurte, verduras diversas, queijos, nozes, azeites especiais, temperos com vinagres aromatizados, tomates cerejas e croutons fazem uma salada virar uma refeição e tanto.


Os legumes também podem ser refogados, com cebolas e tomates fritos em azeite, com toque de alho e salsa. Quer mais opções para usar verduras e legumes? Que tal um pimentão recheado? Pois é, os legumes recheados vieram do Mediterrâneo. Tomates e abobrinhas ficam bons com muitos recheios diferentes. As folhas de videira recheadas também são deliciosas, e vieram especialmente da Grécia.

E aí entramos em outra especialidade da cozinha mediterrânea, que também traz o mérito da comida saudável: os grelhados. Grelhar os alimentos é uma prática muito antiga, mas foi no Mediterrâneo que esse costume ganhou requinte e toques especiais, onde o segredo é a preparação da peça antes de ir ao fogo. A carne, o frango e o peixe são marinados durante horas nos temperos e nas ervas, garantindo o sabor tão especial que já citamos. Também é dessa região o costume de assar carnes moídas, como os quebabs.

Então, faça uma boa salada de entrada, com um ótimo grelhado bem temperado em ervas e azeite, com pãezinhos, e um bom vinho para acompanhar. Está feito seu jantar mediterrâneo, muito saboroso e sem peso na consciência.

Por Sonoma Brasil

Harmoniza com esta matéria:

Leave a comment

Your email address will not be published.


*