Pizza e vinho… Mas qual?

h9rx1bvpx6nafh5b336yh9rx1bvpx6nafh5b336y

Pizza e vinho… Mas qual?

Que tal se tudo acabasse em pizza e vinho? Não seria mais gostoso? Se escolher o vinho certo é o problema, então seu problema acabou!

Gostamos de acreditar no princípio que vinho e pizza combinam e ponto. Mas é claro que existem algumas regrinhas para facilitar a escolha e, por isso, fizemos uma seleção com os sabores mais tradicionais para você aproveitar o dia da pizza em grande estilo!

Para as suaves e tradicionais mussarela e marguerita, indicamos um Chianti ou um Nero D’Avola da Sicília – e porque não a ousada e nem tão conhecida Blaufränkisch? Se a pedida for uma pizza com catupiry, com direito a toda a untuosidade do ingrediente, o melhor é apostar num vinho com caráter mineral, como um Chardonnay da Borgonha.

Se calabresa, peperoni, presunto ou embutidos em geral fazem parte da sua pizza, não pode faltar um vinho leve e com pouco tanino. Um Jerez pode resolver o problema (e como!). Aumentou a quantidade de tempero e condimento? Escolha um Riesling, que conversa muito bem com as pimentas, ou um Baccus, que traz uma quantidade maior de açúcar residual para amenizar a “picância”.

Quanto mais forte e salgada a pizza, menor deve ser a quantidade de taninos no vinho. Pizzas de quatro queijos, aliche ou alho pedem espumantes rosé ou um rosé tranquilo, e talvez até um Pinot Noir que não tenha passado por barrica de carvalho.

Para os que preferem sabores mais terrosos, como cogumelos e pimentões, recomendamos um Pinot Noir ou um Carménère, vinho que costuma ser herbáceo e terroso. As pizzas de abobrinha e de rúcula praticamente pedem um belo Pinot Noir da Nova Zelândia e, por fim, as de alcachofra se tornam ainda melhores quando acompanhadas de um Chenin Blanc ou Sauvignon Blanc.

Na dúvida…

Não encontrou o seu sabor e está inseguro? Um Pinot Noir pode ser a sua escolha! Leve, ele não se sobrepõe em carnes delicadas e, ao mesmo tempo, não deixa faltar nas mais fortes. Além disso, sua acidez limpa o paladar a cada gole, então, se não harmonizar, pelo menos não atrapalha.

Agora, a melhor maneira de se lembrar de tudo isso é na prática! Que tal? Feliz dia da pizza!

Leave a comment

Your email address will not be published.


*