Por que não vinho tinto com chocolate?

hjloctensqxfv9qlkt4ihjloctensqxfv9qlkt4i

Por que não vinho tinto com chocolate?

Uma vontade súbita por chocolate no meio da madrugada me levou a procurar o restinho de um Porto que lembrava de ter guardado. Olhei para o vinho, olhei para o chocolate e me perguntei: por que não?

Uma vontade súbita por chocolate no meio da madrugada me levou a procurar o restinho de um Porto que lembrava de ter guardado. A garrafa até estava lá… Mas adivinhe? Nenhuma gota sequer para contar história! Na geladeira, um Sangiovese da Toscana aberto me encarava. Olhei para o vinho, olhei para o chocolate e me perguntei: por que não?

Em via de regra, pensei, o açúcar e gordura presentes em doces e sobremesas tendem a esconder as frutas no vinho e fazem sobressair acidez e álcool. Se render à experiência não parece nada agradável, e tampouco algo a se recomendar, mas foi tão surpreendente que ando pensando em abandonar os infalíveis vinhos do Porto e seguir em busca de novas harmonizações para chocolates.

Bem, talvez não seja exatamente isso (ou muitíssimo provavelmente, sem o temor de parecer redundante ou prolixo) que vai encontrar num guia ou manual de harmonizações. Eles conseguem ser um tanto quanto “quadradões” às vezes (na maioria delas!). Quer a boa notícia? Você não está lendo um deles!

É claro que nem todo chocolate vai encontrar o seu equilíbrio numa taça de tinto seco – e que é muito mais fácil combinar com Porto ou com o fortificado francês Banyuls -, mas ninguém aqui quer perder uma experiência surpreendentemente boa (ou quer?).

Mas, afinal, que vinho harmonizar?

Para fazer a melhor escolha possível, é preciso atentar-se ao princípio básico de harmonização: pensar nas características do vinho ou do chocolate para, depois, encontrar a combinação perfeita.

Mais doces, os chocolates ao leite representam maior desafio à escolha do vinho. Com menor concentração de cacau, adição de leite e, consequentemente, cremosidade de sobra, talvez um típico Merlot seja o seu par ideal!

A mesma harmonização se faz possível para os meio-amargos, porém, estes são ainda mais flexíveis. Que tal ousar um pouco mais? Aproveitemos o que nos é de direito! Cabernet Sauvignon e Shiraz podem ser uma boa pedida. Consegue imaginar notas de cacau e chocolate em pó? Pois é, elas são comuns nestes vinhos. Uma verdadeira explosão de chocolate na boca!

Ah, os amargos… Meus favoritos, e também os mais “fáceis” de harmonizar. Alguns dizem até que são com os vinhos secos que eles encontram a felicidade, e não com os doces fortificados. Verdade ou não, um deles foi responsável por tudo isso! Se já não existia gabarito, agora eles se fazem ainda menos necessários. Quanto mais cacau, mais terroso o vinho pode ser uma boa dica! Syrah, Pinot Noir, Carménère, Cabernet Franc… E por aí vai!

Não encontrou nenhum desses vinhos, mas quer participar da brincadeira? Vá em frente, ouse! Só não se esqueça de nos contar depois!

Por Gustavo Jazra

Harmoniza com esta matéria:

Leave a comment

Your email address will not be published.


*