Como comprar um Bordeaux

Um dos maiores nomes no mundo dos vinhos merece um guia para te ajudar a se achar entre suas regiões.

Um dos maiores nomes no mundo dos vinhos merece um guia para te ajudar a se achar entre suas regiões. Venha conhecer Bordeaux mais a fundo e saber em qual área apostar.

Antes de tudo, vamos entender como Bordeaux funciona. A região está dividida por três rios: o Dordogne, o Garone e o Gironde, que é uma junção dos outros dois. Esses três rios dividem Bordeaux em três partes: a Margem Direita, a Margem Esquerda e o Entre-Deux-Mers. Cada uma dessas partes tem várias outras denominações, e é por elas que você vai viajar agora.

Escolha o tipo de vinho que você procura e descubra em qual região de Bordeaux vai encontrar!

Margem Esquerda

É na Margem esquerda de Bordeaux que temos a cidade de Bordeaux, o centro comercial da região vinícola. As principais áreas ficam ao sul e ao norte da cidade.

Vinho de sobremesa

Se o que você quer é um delicioso vinho doce e licoroso, a região que deve focar é Sauternes e Barsac, consideradas as melhores do mundo para esse tipo de vinho. Estão localizadas a cerca de 40 Km ao sul da cidade de Bordeaux, e possuem um micro-clima muito particular, que propicia o aparecimento do fungo Botrytis Cinérea. Esse fungo é responsável pelo famoso vinho de sobremesa Sauternes. A principal casta dessas regiões é a Sémillon.

Os vinhos de Sauternes e Barsac são brancos, de doçura excepcional e reconhecidos no mundo todo como o top dos vinhos de sobremesa. Outra região da Margem Esquerda que você pode apostar para comprar um bom vinho de sobremesa é Cérons.

Vinho tinto encorpado

Procurando um bom vinho encorpado? As regiões de Bordeaux que vão te ajudar são Médoc e Graves. Em Médoc, que significa “terra do meio”, o solo quente é perfeito para a maturação da Cabernet Sauvignon, trazendo vinhos que, além de encorpados, são robustos e com um bom potencial para guarda.

Já Grave é a região que fica abaixo da cidade de Bordeaux, acompanhando o curso do rio Garonne. O solo é mais argiloso e arenoso, o que traz bastante corpo para seus tintos.

Branco ou tinto, o que importa é ser mineral

Então, a região certa pra você é Pessac-Léognan. Ela é famosa tanto por seus tintos quanto por seus brancos. As principais castas são a Sauvignon e a Sémillon, e os vinhos são característicos pelos toques minerais, aromas de terra fresca e tabaco.

Margem Direita


Vamos para o outro lado!

Eu amo Merlot…

A palavra “merlot” está intimamente associada com a palavra “Margem Direita”, e ainda mais com a palavra “Pomerol”: as regiõs de Pomerol e Lalande-Pomerol têm essa casta como o personagem principal do seu show, por conta do solo de calcário, areia e argila. Produzem vinhos redondos, macios e de rápida evolução. Se o que quer é um bom Merlot, encorpado mas também elegante, com aromas de caça e madeira, aposte em Pomerol.

Vinho tinto elegante

Se são vinhos com “finesse”, elegância e ataque macio que quer, aposte em Saint-Émilion. Os vinhos dessa região foram descritos pelo Rei Louis XIV como “néctar dos deuses”. É a maior apelação de Bordeaux, com mais de 5000 hectares de videiras, produzindo vinhos de classe e que adquirem um bouquet muito rico, com a idade.

Vinho bom e mais em conta

Quer um vinho de qualidade, mas que pese menos no bolso? Entre as denominações menores de Bordeax, são as de Fronsac e Canon-Fronsac que têm a melhor reputação de qualidade e preço. Assim como Pomerol e Saint Émilion, Canon-Fronsac e Fronsac produzem vinho tintos, robustos e surpreendentes, com predominância da Merlot.

Outra opção em conta é a região de Côtes de Blaye (também chamada de Côtes de Blayais), que produz ótimos vinhos brancos vivos e vinhos tintos leves, para serem bebidos jovens.

Entre-Deux-Mers

Apesar de significar “Entre dois mares”, a tradução literal dessa região deveria ser “Entre dois rios”, pois é na área do meio de Bordeaux que ela de encontra.

Vinho branco

Tá cansado de tinto? Quer saber onde encontrar um bom branco em Bordeaux? A região Entre-Deux-Mers é o local certo. Não se confunda: essa denominação tem o mesmo nome da região maior que também abriga as sete denominações que falaremos abaixo, mas essa é especificamente a área triangular abraçada pelos rios Garone e Dordogne.

A denominação de Entre-Deux-Mers é famosa pelos vinhos brancos secos, feitos com uma clássica mistura das uvas Sauvignon Blanc, Sémillon e Muscadelle. São frescos, vivos e frutados, e devem ser bebidos jovens.

Vinho frutado

Quer um bom toque de frutas no seu vinho? As regiões “frutíferas” que procura são Graves de Vayres e Premiéres Côtes de Bordeuax.

A primeira produz vinhos leves e com bastante fruta, das vermelhas às amarelas, produzindo também um pouco de vinho branco. A segunda tem a Merlot, Cabernet Sauvignon e Franc como castas principais, e, além de serem frutados, são vivos e com corpo suficiente para ser consumidos entre 3 a 5 anos.

Vinho de sobremesa mais em conta

Se quer fugir da ostentação do Sauternes, o Entre-Deux-Mers oferece outras três regiões que produzem vinhos de sobremesa fantásticos. São menos potentes e concentrados que os Sauternes, mas também têm muita qualidade. Grave esses nomes: Loupiac, Saint-Croix-du-Mont e Cadillac.

Para saber mais o que o espera, Loupiac traz vinhos de sobremesa mais frescos; Saint-Croix-du-Mont traz vinhos mais frutados, com destaque ao pêssego; enquanto Cadillac tem estilos que vão do rico e exótico ao meio-doce.

Vinho raro

Se exclusividade e uma boa história pra contar é o que você procura, a região certa é Saint-Macaire. Lá, existe uma casta (que tem o mesmo nome) que está quase extinta. Ela nasceu nessa região de Bordeaux e, apesar de ser difícil de achar, é lá que você tem mais chances, pelo menos dentro da França.

Variedades

Sainte-Foy-Bordeaux produz desde vinhos tintos frutados até brancos de sobremesa. Vale a pena experimentar essa região pouco falada de Entre-Deux-Mers.

O que isso significa?

Algumas palavras que aparecem em rótulos de vinhos de Bordeaux podem te deixar confuso. Veja o que significam.

Cru – Em Bordeaux, o termo “cru” é o mesmo que “terroir”, uma faixa de terra que produz vinhos, que se diferenciam de seus vizinhos, e reproduzem as mesmas características em seus vinhos, com o decorrer dos anos. Como na França o terreno da videira é considerado uma das coisas mais importantes para a produção de um vinho, criou-se uma espécie de classificação para diferenciar vinhos de maior qualidade, de acordo com seus “crus”. Cada região tem uma qualificação diferente, mas o básico é saber que vinhos “Premier Cru” e “Grand Cru” são os que receberam a maior qualificação nesse quesito.

Bordeaux Simples e Bordeaux Superior – Além de serem classificados pelos “crus”, os vinhos de Bordeaux também são classificados com relação à sua qualidade e ao vinho em si. Um Bordeaux Superior é um vinho feito com castas melhores, que vêm de vinhedos que já receberam o título de Denominação de Origem e geralmente passou por barricas de carvalho. Um Bordeaux Simples, o próprio nome já diz, é simples – mas isso não significa que tenha pouca qualidade, pois um vinho pode ser simples mas muito bem feito.

Por Sonoma Brasil

Harmoniza com esta matéria:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aprenda mais sobre o universo do vinho.

Cadastre seu e-email e receba atualizações notícias e promoções

Por favor, verifique seu email.
O que falam da gente

Quer saber mais da Sonoma? Clique em algumas destas matérias para saber mais sobre a empresa.

Close
© 2020 SONOMA. Todos os direitos reservados. Se beber não dirija. Aprecie com moderação. A venda de bebidas alcoólicas é proibida para menores de 18 anos.
Close