Espumante brasileiro: uma paixão nacional

Espumante brasileiro: uma paixão nacional

Engana-se quem duvida da qualidade dos espumantes brasileiros!

A produção de vinhos no Brasil começou em 1532, mas apenas em 1915 nasciam os espumantes brasileiros, com a fundação da vinícola Armando Peterlongo. Há quase 100 anos, nossas rolhas são estouradas e nossos espumantes, apreciados. E, felizmente, o povo brasileiro está começando a reconhecer a qualidade dos espumantes da nossa terra.

Se existe uma região no país que pode se considerar a “terra dos espumantes”, é a Serra Gaúcha, no Rio Grande do Sul. O motivo? Claro que o clima e o terroir ajudam muito na elaboração dos espumantes, já que a região é alta, tem boa drenagem e exposição solar. Porém, existem outros fatores.

Esta parte do Brasil, em particular, possui condições climáticas bem favoráveis para a elaboração de vinhos-base para espumantes, e também demonstra manter uma linear de qualidade com o tempo. O clima é temperado, com verões amenos e úmidos, e temperatura média de 17ºC. Além do terroir, outro motivo do sucesso de nossos espumantes foi a vinda de enólogos de competência para trabalhar com essa bebida no Brasil, caso de Adolfo Lona, Mario Geisse e Alejandro Rapetti, renomados profissionais que estão produzindo maravilhas. “O segredo é que o nosso espumante tem qualidade e preço baixo, e o consumidor percebe isso. A outra razão é que o exemplo da comparação de qualidade e preço, dos espumantes nacionais em comparação com importados, não tem o mesmo paralelo com os vinhos finos tranquilos, que são caros (os brasileiros finos comuns) quando comparados no mesmo nível de qualidade com os importados”, opina o escritor e expert em vinhos Didú Russo, do Blog do Didú.

Os brasileiros, finalmente, estão consumindo mais espumantes nacionais, diferente de muitos que torcem o nariz para outros tipos de vinhos brasileiros. “Os brasileiros aceitam muito bem (os espumantes brasileiros), tanto que é a categoria que mais cresce há anos, bem acima dos demais vinhos nacionais. O brasileiro sabe que seu espumante é bom e respeitado. Até enólogos de Champagne elogiam a qualidade e potencial de nosso espumante”, orgulha-se Didú. Como prova, entre 2005 e 2010, o consumo no país cresceu 65% e atingiu 16,8 milhões de litros, isto é, considerando bebidas nacionais e importadas. Somente em 2010, o aumento foi de 17%.

Vinícola Armando Pterlongo

Além da Serra Gaúcha…

Não só a Serra Gaúcha produz espumantes de qualidade, mas também Santa Catarina e Pernambuco. Sim, o nordeste também produz espumantes famosos de alta qualidade. Mesmo sendo dois terroirs tão distintos, o Vale de São Francisco, situado entre os territórios pernambucano e baiano, possui, obviamente, um clima excessivamente quente e semi-árido, ideal para a elaboração de espumantes mais cremosos. “O vinho tem dessas coisas. É o que há de mais complexo depois do ser humano. Encontram-se ótimos espumantes por toda parte do planeta. Basta respeitar as características de cada local e saber tirar da terra o que ela tem a dar. Não é fácil, mas é possível”, diz Didú.

Vinícola Serra Gaúcha

E o método?

Já o método mais utilizado para a elaboração da bebida é o charmat, com segunda fermentação em tanques de aço. O método tradicional francês, o champenoise, o mesmo utilizado para os Champagnes, também é utilizado no Brasil, contudo, em espumantes mais finos e preços mais elevados.

E você, também é fã dos espumantes nacionais?

Espumante

Qual é o seu preferido?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aprenda mais sobre o universo do vinho.

Cadastre seu e-email e receba atualizações notícias e promoções

Por favor, verifique seu email. Por favor, verifique sua cidade.
O que falam da gente

Quer saber mais da Sonoma? Clique em algumas destas matérias para saber mais sobre a empresa.

Close
© 2020 SONOMA. Todos os direitos reservados. Se beber não dirija. Aprecie com moderação. A venda de bebidas alcoólicas é proibida para menores de 18 anos.
Close