Hungria: excelência e história na produção de vinhos

Hungria: excelência e história na produção de vinhos

Uma preciosidade pouco conhecida no Brasil: os vinhos da Hungria!

Apesar de muita gente não saber, a Hungria está entre os maiores produtores de vinho da Europa, sendo o mais tradicional do Leste Europeu. O seu único concorrente direto poderia ser a Áustria, porém, ainda assim, a Hungria sai à frente por toda sua trajetória vitivinícola.

A Hungria ocupa a décima primeira posição mundial entre os países produtores de vinho. Pudera. Sua história na vinicultura teve início no século IX, quando os magiares – antiga tribo dos Montes Urais da qual descendem os húngaros modernos – chegaram à região. Eles encontraram no país, parreiras plantadas por toda parte e, ainda, práticas bem estabelecidas de viticultura e de produção de vinho. Na verdade, a Hungria só entrou, de fato, para o hall dos produtores da bebida no século XVII, quando ficou conhecida como a terceira cultura vinícola mais sofisticada da Europa – na ocasião só perdia para a França e Alemanha. Séculos depois, mais especificamente em 1996, o país se posicionou em décimo segundo lugar entre os principais produtores mundiais, com uma produção de aproximadamente quatro milhões de hectolitros – medida correspondente a 100 litros.

O país teve esse destaque no mundo de vinho graças a região de Tokaj- Hegyalja, localizada no nordeste da Hungria. Inclusive, no local foi desenvolvido o primeiro sistema de classificação de vinhos com base na qualidade, no século XVII. O principal vinho do país é o Tokaji Aszú que é considerado um dos melhores vinhos de sobremesa do mundo. A bebida doce é equilibrada graças à acidez natural das uvas e, ainda, conta com a ajuda da Botrytis cinerea – fungo denominado como “podridão nobre” desejado em algumas vinhas para que haja a obtenção de vinhos licorosos. As variedades usadas na elaboração da bebida são a “Furmint” – que constitui cerca de 60% de todas as uvas plantadas na região -, “Muscat Lunel”, “Hárslevelü e “Oremus”, caracterizada pelo alto nível de acidez.

Atualmente, as castas mais cultivadas e que proporcionam vinhos húngaros deliciosos são originárias da França e da Alemanhã, como Chardonnay, Sauvignon Blanc, Cabernet Sauvignon, Merlot, Cabernet Franc e Pinot Noir, Olaszrizling, Riesling e Blaufrankisch. Apesar de raros e difíceis de serem encontrados no Brasil, ainda assim, não é impossível se deparar com algum de seus excelentes rótulos. Que tal experimentar algum dos tradicionais vinhos provenientes da Europa Oriental?

Por Sonoma Brasil

Conheça nossa variedade de vinhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aprenda mais sobre o universo do vinho.

Cadastre seu e-email e receba atualizações notícias e promoções

Por favor, verifique seu email. Por favor, verifique sua cidade.
O que falam da gente

Quer saber mais da Sonoma? Clique em algumas destas matérias para saber mais sobre a empresa.

Close
© 2020 SONOMA. Todos os direitos reservados. Se beber não dirija. Aprecie com moderação. A venda de bebidas alcoólicas é proibida para menores de 18 anos.
Close