Como escolher sua uva preferida? Parte 2 – Uvas Brancas

Como escolher sua uva preferida? Parte 2 – Uvas Brancas

Na primeira parte deste guia, nós falamos sobre as uvas tintas. Hoje, falaremos sobre as brancas. Há quem prefira e há quem queira conhecer mais sobre as variedades. Descubra!

Chardonnay

Se a Cabernet Sauvignon é a “rainha das tintas”, a Chardonnay, certamente, é a “rainha das brancas”. De fácil adaptação a muitos solos e climas, ela é cultivada em diversos países do mundo; amada por muitos, detestada por outros tantos. Originalmente, não é muito aromática, entretanto, tem uma capacidade ímpar de absorver as características do solo. O resultado são vinhos que apresentam frutas cítricas, tropicais, notas florais e, muitas vezes, amanteigadas e amadeiradas.

Harmonização: queijos de massa filada (mussarela, provolone, serrano, serro)

Cortes em que aparece: Chablis, Champagne, Pouilly-Fuissé, Montrachet

Corpo: Médio

Pinot Grigio

Versátil e originária da Alsácea, a Pinot Grigio, também conhecida como Pinot Gris, pode até ser confundida com uma uva para tintos, devido sua casca de coloração rosada. Mas, grandes vinhos brancos são produzidos com ela. Notas de especiarias, toques herbáceos e frescos são o seu forte. Dependendo do terroir em que for cultivada, pode ganhar mineralidade e até flores e frutas tropicais, como maracujá. (É o caso da uva plantada na Eslovênia).

Harmonização: embutidos

Corpo: Leve

Cortes em que aparece: Baden

Sauvignon Blanc

Hoje, presente em quase todo território francês e em muitos outros países, a Sauvignon Blanc é tão versátil que vai de vinhos secos à vinhos de sobremesa, como é o caso do Sauternes, na França. Citricidade é uma característica presente em seus aromas, além dos toques herbáceos. De um vinho dessa uva, pode esperar notas de grama recém-cortada, lima, maracujá… Em boca, é fresco, apresenta boa acidez certa mineralidade.

Harmonização: peixes brancos assados com poucos condimentos

Cortes em que aparece: Pouilly-Fumé, Sancerre, Sauternes

Corpo: Leve

Moscatel

A Moscato é, de longe, a maior família de uvas. Existem Moscatos brancas, amarelas, rosas e até uma variedade tinta, bem negra. São mais de 200 tipos! O aroma dos vinhos tranquilos e espumantes produzidos com ela é, com certeza, seu ponto de referência. Uma combinação leve entre floral, almíscar, uva madura, mel, damasco e pêssego. Com tantas variedades, é natural encontrarmos grande diversidade nos resultados. No Brasil, a Moscatel é processada principalmente em forma de espumantes finos, considerados delicados e de muita qualidade por famosos enólogos do país.

Harmonização: frituras, doces à base de frutas e queijos cremosos

Cortes: Jerez

Corpo: Leve pra médio

Riesling

Para muitos, ela é a melhor das uvas brancas. Nascida na Alemanha, a Riesling é uma das uvas mais versáteis e famosas no mundo dos vinhos. A maturação longa garante um elevado nível de acidez e pouco açúcar, mas, apesar do amargor, ela é capaz de produzir um extraordinário vinho branco seco, semi-doce ou até o extremamente adocicado. Enólogos costumam dizer que seus aromas são únicos, entre minerais, como fósforo, alumínio, pólvora e ferro; frutas brancas, como maçã verde, damasco, pêra e pêssego; petroláceos, como diesel, querosene, petróleo e borracha; e florais, como pétalas de rosa, flores brancas e amarelas.

Harmonização: carne de porco e pratos defumados

Corpo: Médio para encorpado

Chenin Blanc

A Chenin Blanc é a principal uva da região do Loire, no norte da França. Através dela são produzidos desde vinhos brancos secos até complexos vinhos de sobremesa, e também espumantes. Outros terroirs receberam seu plantio, mas nenhum ofereceu a ela a qualidade que terras francesas ofereceram. Entretanto, se deu muito bem na África do Sul, onde é conhecida como Steen. Dentre seus principais aromas, estão maçã, pera, marmelo, nozes, mel e cevada. Seus vinhos de sobremesa apresentam grande potencial para guarda.

Harmonização: aves e peixes ao molho

Corpo: Médio para encorpado

Cortes em que aparece: Loire

Torrontés

Nunca provou um vinho branco argentino e não quer errar na hora da escolha? Aposte num Torrontés. É, de longe, a variedade branca mais importante da região, e também uma das mais cultivadas da Argentina. Seus vinhos têm inconfundíveis aromas florais e frutados, além de corpo médio, alta graduação alcoólica e acidez média.

Harmonização: pratos picantes e comida asiática

Corpo: Leve para médio

Alvarinho

Você pode até não conhecer a Alvarinho, mas é a variedade é comumente associada ao Vinho Verde, típico do norte de Portugal, mas é apenas uma das uvas usadas no corte. E seus atributos vão além quando a uva é colhida no momento certo. A uva Alvarinho é cultivada e adaptou-se melhor ao Minho, no norte de Portugal, na fronteira com a Espanha. Os rótulos varietais produzidos nas duas localidades são encorpados e aromáticos, e seu complexo de aromas de frutas, como pêssego, banana, limão, maracujá e lichia, além de flores, principalmente de violeta e da laranjeira.

Harmonização: leitão e carne de porco em geral

Cortes em que aparece: Vinho Verde

Corpo: Leve

Macabeo

Esta é a primeira das três uvas utilizadas no Cava, o mais famoso espumante da Espanha, muito consumido aqui no Brasil (os espumantes que explodem nas corridas de Fórmula 1 são Cava!). Conhecida na Espanha como Viura, a Macabeo é a principal uva branca de Rioja. No corte do Cava, o “Champagne” da Espanha, ela entra com pelo menos 50% e sua função é trazer doçura e perfume, devido às suas propriedades aromáticas em evidência.

Harmonização: feijoada

Cortes em que aparece: Cava

Corpo: Leve

Parellada

Ainda pela Espanha e falando de Cavas, a Parellada entra no corte para afinar os taninos e trazer frescor. Isso se dá pelo fato dela preferir grandes altitudes, além de carregar bastante acidez. Considerando que 95% de toda a produção que utiliza esta uva é espumante, procure pelas borbulhas caso ela seja eleita a sua preferida.

Harmonização: feijoada

Cortes em que aparece: Cava

Corpo: Leve

Xarel-lo

Finalizando o corte de Cava, entra a Xarel-lo dando corpo e estrutura. Os vinhos produzidos com a variedade que vem lá da região de Penedès, tendem a ser equilibrados, sedosos e saborosos; além de aromáticos. A boa graduação alcoólica que costuma trazer aos vinhos, é o que influencia na estrutura dos mesmos.

Harmonização: feijoada

Cortes em que aparece: Cava

Corpo: Médio para encorpado

Leia a terceira parte deste guia, onde falamos sobre as uvas não tão tradicionais, aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aprenda mais sobre o universo do vinho.

Cadastre seu e-email e receba atualizações notícias e promoções

Por favor, verifique seu email. Por favor, verifique sua cidade.
O que falam da gente

Quer saber mais da Sonoma? Clique em algumas destas matérias para saber mais sobre a empresa.

Close
© 2020 SONOMA. Todos os direitos reservados. Se beber não dirija. Aprecie com moderação. A venda de bebidas alcoólicas é proibida para menores de 18 anos.
Close