Não tenha medo da carta de vinhos I – Dicas básicas

adayiv5zn7xliebxcfsladayiv5zn7xliebxcfsl

Não tenha medo da carta de vinhos I – Dicas básicas

Quem gosta de vinho sabe que a experiência fica muito melhor na companhia de pratos que harmonizam.

Quem gosta de vinho sabe que a experiência fica muito melhor na companhia de pratos que harmonizam.

Quando a refeição é em casa, é fácil – há tempo o suficiente para escolher um bom rótulo e preparar a comida adequada antes de abrir a garrafa de fato. Mas e nos restaurantes?

Nessas horas, muita gente pode ficar acanhada frente ao sommelier da casa e sua carta de vinhos. A situação pode assustar ou, pior, envergonhar, mas na verdade não tem segredos.

Coletando informações

No momento em que a carta de vinhos for oferecida, olhe com calma e sem pressa. Pergunte às outras pessoas da mesa sobre suas preferências, assim será mais fácil escolher um vinho que agradará a todos.

Caso tenha alguma dúvida, não hesite em chamar o sommelier, ele está lá justamente para isso. Diga para ele algumas informações como tipo de vinho, variedade de uva ou país que prefere. Caso já tenham escolhido os pratos, melhor ainda, pois poderão ter as melhores opções de harmonização.

Chegando a um preço

Rapidamente, o sommelier dará algumas opções, provavelmente de preços variados. É nessa hora que você descobrirá se as sugestões cabem ou não no seu bolso. Se ultrapassarem o valor que você quer gastar, não se intimide: pergunte se há outra opção. Saiba que nem sempre os mais caros são os melhores.

Para isso, mostre qual dos vinhos você mais gostou (de acordo com o preço) e peça mais rótulos parecidos. Se quiser ser mais discreto, faça isso apontando para a carta de vinhos (as outras pessoas à mesa não precisam ouvir os valores).

Conferindo o vinho

Quando a garrafa chegar à mesa, faça a conferência do rótulo, prestando atenção a detalhes como safra, uva, nome do vinho e produtor. Com tudo certo, o sommelier irá abri-la em algum lugar visível. Não estranhe se ele beber um “micro gole” antes de servir o vinho, trata-se de um procedimento para assegurar que o vinho não apresenta nenhum defeito.

Em seguida, ele apresentará a rolha a você. Apenas certifique-se, com a ponta dos dedos, se a rolha está molhada. Se estiver, é um bom sinal, pois significa que o vinho foi armazenado da maneira correta, na horizontal.

O sommelier, então, lhe servirá uma pequena quantia de vinho para que você prove e confira, também, que não há defeitos. Alguns são bem fáceis de identificar: se você perceber que a rolha está um pouco para fora da garrafa, com certeza o vinho sofreu um superaquecimento, o que fez a rolha se expandir; quando o vinho apresenta aroma de papelão molhado, ele está “bouchonné” (rolhado, em francês) – acontece quando um fungo se aloja na rolha e entra em contato com o vinho, contaminando-o. No final, se tudo estiver ok, peça para servir o vinho.

Bebendo o vinho

O serviço começará pelos mais velhos, mulheres, homens e, por último, você, que escolheu o vinho. É hora de, finalmente, aproveitar o vinho escolhido e curtir o momento. Mas não esqueça de brindar antes!

No final, o mais importante de tudo é não ter medo nem vergonha na hora de pedir um vinho. Com essas dicas, tenho certeza de que você vai se tornar um craque em pedir vinhos em restaurantes.

Por Jô Barros

Leave a comment

Your email address will not be published.


*