Pasta nossa de cada dia

Pasta nossa de cada dia

Pasta nossa de cada dia

Nada é mais italiano do que comer. Nenhuma comida é mais italiana do que o macarrão. A receita é simples: água e farinha. Algumas preparações levam ovo. Pode ser amarela ou colorida pela adição de ervas frescas ou legumes tintureiros, como a beterraba e a cenoura. Seca ou fresca, a pasta, como chamam os italianos, tornou-se um clássico da cozinha universal.

Nós, brasileiros, bem sabemos disso, afinal, somos um dos maiores consumidores mundiais de macarrão em suas mais variadas formas.

A pasta possui inúmeros formatos, combina uma infinidade de molhos e pode ser recheada, o que lhe dá infinitas possibilidades. É possível comer pasta o ano inteiro sem repetir a receita.

Muitos afirmam que foi Marco Polo, no século 13, quem trouxe o macarrão para a Europa, embora outras fontes sugiram que a pasta é uma evolução natural do pão, como a pizza e a esfiha. Outros dizem ainda que chineses e italianos chegaram casualmente na mesma receita. Neste caso, a contribuição de Marco Polo teria sido carregar na bagagem métodos de preparo desconhecidos no Mediterrâneo. O ponto a favor dos italianos é que enquanto os chineses preparam apenas um ou dois tipos de pasta, eles dominam a cena em uma infinidade de versões. Controvérsias à parte, o fato é que a pasta italiana dominou o mundo.

Versátil, ela pode ser substancial e quente no inverno, servindo aos propósitos de um grande tinto. Também pode ser rústica, apenas coberta por molho de tomate e manjericão. Ou bem sofisticada, recheada de trufas brancas e servida com o mais nobre Borgonha. No verão, aceita molho a base de limão, camarões grelhados e azeitonas verdes, e, para os vegetarianos, apresenta-se com legumes salteados, alho e pimenta do reino. Pode ser preparada por grandes chefs, mas é um dos pratos que mais iniciam amadores na cozinha.

Separamos algumas indicações que combinam demais com o friozinho do inverno. Todas as versões, claro, acompanhadas por excelentes vinhos.

Pasta alla carbonara

Com molho a base de ovo, pancetta, alho e pecorino. É típico da região de Roma. O vinho se for tinto deve ter boa acidez, se for branco, amadeirado.

Harmonização

Pasta ao sugo

Simples no preparo, seu sucesso depende da qualidade do tomate e do azeite utilizado. Harmoniza com tinto, seco e de corpo médio.

Harmonização

Pasta alla puttanesca

Típica de Nápoles e região. Leva alho, alcaparra, azeitona, aliche, pimenta e tomates. Bom para tintos e brancos encorpados.

Harmonização

Pasta com frutos do mar

Linda opção para quem aprecia prato leve ao mesmo tempo cheio de sabor. Essa é uma preparação muito comum no Brasil, pode levar molho cítrico ou, o mais tradicional, molho de tomates.

Harmonização

Pasta aos quatro queijos

Outro clássico muito popular em todo o Brasil, vai bem com vinhos amadeirados ou tintos frutados.

Harmonização

Leave a comment

Your email address will not be published.


*