A uva mais plantada da Itália

w3k4gseqwoapeqabpos2w3k4gseqwoapeqabpos2

A uva mais plantada da Itália

Sangiovese, você já ouviu falar?

Não só é – e sempre foi – a uva mais cultivada do país, como é a tinta mais conhecida e de maior importância também! Ser a primeira uva num país como a Itália é uma missão e tanto… A que se deve tanto sucesso? Descubra!

São mais de mil variedades viníferas registradas e cultivadas nas 20 regiões e mais de 900 mil vinícolas ao longo do país. Em cada cantinho da Itália é fácil encontrar vinhas e vinhos. O difícil mesmo é se destacar, como a Sangiovese.

Só na Toscana, coração da Itália, a variedade já é protagonista de três vinhos de peso: Chianti, Montepulciano e Brunello di Montalcino. Isso sem falar nos Super Toscanos, em que divide os holofotes com a francesa Cabernet Sauvignon, e nos monovarietais e blends diversos. Fora da Toscana, a variedade se destaca em outras duas regiões italianas, a Umbria e Emilia-Romagna, mas marca presença em todas as outras, sem exceção.

E, é claro, uma uva tão presente num país deve ser facilmente encontrada em todas as partes do mundo. É… Não é bem por aí! Essa é mais uma das italianas que dificilmente saem dos territórios de origem.

Até pouco tempo, os Estados Unidos eram o único território fora da Itália a produzir bons rótulos com a Sangiovese. Nas últimas décadas, a uva viajou o mundo e chegou à Argentina, Chile e até Austrália, mas ainda não ganhou tal expressividade, e dificilmente ganhará.

Por que é tão importante?


Toda a Itália é cheia de microclimas, seja pelas variações de altitude, de solo ou temperatura, fazendo com que haja muitas dissidências dentro das próprias denominações. Muito sensível, por onde passa, a Sangiovese sofre pequenas variações e se adapta ao microclima de cada região, se desdobrando em uma série de clones.

A título de exemplo, cada um dos três principais toscanos é feito com um clone da Sangiovese: Chianti Clássico com Sangioveto, Brunello di Montalcino com o clone Brunello e Montepulciano com Prugnolo.

O que esperar?


Tendo em vista tantas variações, fica difícil saber o que guarda uma garrafa de Sangiovese. Mesmo imprevisíveis, têm algumas características comuns.

Terrosos e complexos, mas leves em boca, seu corpo mais se aproxima de um Pinot Noir do que de um Cabernet Sauvignon. Quando jovem, mostra todo o frescor de doces feitos com cereja e outras frutas vermelhas e ganha, com a idade, folhas secas, casca de laranja, chá, café e outros sabores terrosos e herbáceos.

Por Gustavo Jazra

Harmoniza com esta matéria:

Leave a comment

Your email address will not be published.


*