Alvarinho: a uva é branca, mas o vinho é verde

cm3nbez2sgetgndjlnppcm3nbez2sgetgndjlnpp

Alvarinho: a uva é branca, mas o vinho é verde

Já ouviu falar em Vinho Verde? Sabia que é de uva branca? Ela se chama Alvarinho – conheça com a Sonoma!

A variedade é comumente associada ao Vinho Verde, típico do norte de Portugal, mas é apenas uma das uvas usadas no corte. E seus atributos vão além quando a uva é colhida no momento certo.

A uva Alvarinho é cultivada e adaptou-se melhor ao Minho, no norte de Portugal, na fronteira com a Espanha. Os rótulos varietais produzidos nas duas localidades são encorpados e aromáticos, e seu complexo de aromas de frutas, como pêssego, banana, limão, maracujá e lichia, além de flores, principalmente de violeta e da laranjeira.

O Vinho Verde, típico e exclusivo da região do Minho, entre os rios Minho e Douro, é um corte de diversas castas portuguesas, incluindo a Alvarinho, o que torna uma bebida com características muito particulares: leve, refrescante, ligeiramente frisante e de baixo teor alcoólico, feito para ser bebido jovem.

Em Monção, uma sub-região do Minho, são encontrados os melhores exemplares de vinho verde – aromático, macio e mais alcoólico, com teor na casa dos 13% – e também vinhos “maduros” mais fortes e intensos. Ao contrário da produção portuguesa, os rótulos produzidos na região espanhola da Galícia são fortes, intensos, e harmonizam perfeitamente com os frutos do mar cultivados no Oceano Atlântico.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*