Vinhos germânicos

lkqhaj0mtyqlwmqci7mj lkqhaj0mtyqlwmqci7mj

Vinhos germânicos

Os vinhos da Áustria e da Alemanha possuem vários pontos similares, mesmo sendo especiais, cada um a seu modo.

Os vinhos da Áustria e da Alemanha possuem vários pontos similares, mesmo sendo especiais, cada um a seu modo.

Tanto a Áustria quanto a Alemanha dividem o cenário da Europa Central, com 784 km de fronteira entre os dois países. A Áustria fez parte da Alemanha por 7 anos (foi anexada em 1938, pelo regime nazista, e só voltou a se separar em 1945). E, pra completar, 90% da população austríaca fala alemão.


Mas não é apenas a língua, a história e as fronteiras que a Áustria e a Alemanha têm em comum (como se isso fosse pouca coisa).

Os vinhos germânicos

As semelhanças do vinho austríaco e alemão começam, de novo, na História. Na Idade Média, tanto os vinhedos da Áustria quanto os da Alemanha ficaram aos cuidados de monges, que os desenvolveram de forma semelhante.


Já nos tempos atuais, tanto a Alemanha quanto a Áustria ficaram conhecidas pelos vinhos brancos e pelos vinhos doces. Essa semelhança não é de se espantar, já que os dois países dividem temperaturas e terroirs semelhantes, que são ambientes propícios para os mesmos tipos de uvas e amadurecimentos.


Os vinhos brancos de ambos os países são elegantes e presentes. Os Riesling da Alemanha e da Áustria são incomparáveis com os outros brancos dessa uva, feitos por outros países do globo. Os germânicos saem ganhando em disparada!


Os grandes vinhos doces austríacos e alemães também fazem sucesso, sendo verdadeiros vinhos de “meditação”, perfeitos para serem tomados sozinhos, curtindo cada sabor. Mas também ficam deliciosos com queijos azuis ou sobremesas à base de frutas e castanhas.

Castas

Devido ao clima frio, os dois países se dão melhor com as castas de uvas brancas. A Riesling é a segunda casta de maior qualidade da Áustria (perdendo apenas para a Grüner Veltliner, que é nativa do país), e a mais importante da Alemanha, onde 85% dos vinhedos são plantados com Riesling e suas híbridas.

E as diferenças?

Geralmente, os vinhos austríacos são considerados mais encorpados que os alemães.


A Áustria também produz alguns vinhos tintos, que são mais raros, devido à escassez das uvas. A maioria deles vem da área mais quente da Áustria, a região de Burgenland. São vinhos encorpados, divertidos e especiais.

Já os tintos alemães mais prestigiados são feitos, em sua maioria, de Pinot Noit (em alemão, Spätburgunder). Alguns tintos também podem ser doces e viçosos, acompanhando o açúcar residual dos famosos brancos alemães.

Por Fernanda Braite

Harmoniza com esta matéria:

Leave a comment

Your email address will not be published.


*