Vinho branco só para peixe?

Vinho branco só para peixe?

Sempre que pensamos em vinho branco para harmonizar com algum prato, nos vem à cabeça a velha regrinha de sempre: vinho branco com peixe.

Sempre que pensamos em vinho branco para harmonizar com algum prato, nos vem à cabeça a velha regrinha de sempre: vinho branco com peixe.

Mas, e quem não gosta de peixe e adora vinho branco, como fica? Calma… você vai ver que o vinho branco pode (e deve) ser mais explorado.

O vinho nada mais é do que um acompanhamento que serve para exaltar os sabores da um prato. Claro que ele por si só já é um grande prazer, mas com a comida certa, se torna ainda melhor. A escolha errada, no entanto, poderá desvalorizar ambos, e ai, meu amigo, sua refeição poderá ir por água abaixo.

Para não acontecer “incidentes” à mesa, existem regrinhas que são utilizadas para facilitar a vida de todos nós. No entanto, vale lembrar que harmonização é pessoal e você pode, sim, discordar com qualquer uma das sugestões. Sem dúvida, alguma delas poderá não agradar o seu paladar, mas elas existem para ajudar a encontrar um caminho, depois de achado, você pode mudar a “rota”, sem nenhum problema.

O vinho branco, geralmente, é refrescante e é mais pedido em dias quentes e no verão. Muitos associam sua imagem com comidas mais leves, saladas e peixes, no entanto, existem outros tipos de brancos que vão muito bem com estilo de gastronomia um pouco mais “pesada”. Se você gosta de carne de porco, por exemplo, pode fazer o teste com lombo e vinhos Chardonnay ou Viognier. Já o pernil, também harmoniza bem com um vinhos Chardonnay. Vale a recomendação de escolher sempre brancos mais encorpados para harmonizações com pratos com base na carne de porco. Faça o teste!

Já os vinhos secos e amplos possuem mais matéria para explorar, e têm uma doçura típica de fruta madura. Enquanto, os aromáticos podem também ser secos ou meio-secos, sendo este último engarrafado, geralmente, antes que todo o açúcar das uvas tenha se transformado em álcool. Sendo assim, sua leveza e carência de álcool não o torna agradável para acompanhar um prato mais elaborado.

Os mais açucarados são mais concentrados e, portanto, são consumidos lentamente e, também, junto com um prato de mesmo nível de açúcar. Um ponto que deve ser relevante é que muitos produtores dão ao vinho nome de cepa, porém, o seu estilo pode variar muito de acordo com a região, clima e solo, elementos que compõem o famoso “terroir”. Um Chardonnay do Alto Ádige, ao norte da Itália, por exemplo, será vivo e fresco, enquanto um vinho da mesma uva, mas elaborado na Austrália, tenderá a ser mais amplo e com toque de frutas exóticas. Uma loucura, não?

Vinho branco com…

Existem muitas carnes brancas que pedem um vinho branco – desde os mais leves até os mais encorpados -, dependendo da carne e do modo de preparo, é claro. Além disso, também é possível harmonizar certos vinhos brancos com massas, pratos com queijos, bacalhau, pimentões recheados, legumes ao forno, defumados, salmão… enfim, sem dúvida, há uma leque de opções maior do que você imaginava….

Um vinho seco e leve, por exemplo, como o Pinot Blanc (da Europa central), Sauvignon Blanc (do Chile, Nova Zelândia, Loire), vai bem com frutos do mar, ostras, legumes, peixe grelhado ou frito, frios e queijo de cabra, nada muito complexo. Já temperatura fica na casa dos 8ºC, e o rótulo deve ser servido bem jovem.

Já um branco seco e frutado, como o Chardonnay (Borgonha e Novo Mundo), Sémillon (Sauternes e Austrália) e Chenin (Loire e África do Sul) combina com cozinha variada – da mais simples à mais elaborada. Massas com frutos do mar, peixe grelhado ou cozido são boas pedidas. Neste caso, a temperatura fica 8 e 10 ºC.

Os secos e elegantes, assim como Chardonnay (Novo Mundo e Borgonha), Riesling (Alemanha e Austrália,) Sauvignon Blanc (Loire, Nova Zelândia e Chile) e Marsanne (Rhône) ficam ótimos se acompanhados de uma gastronomia mais aromática, com pratos elaborados com champignon, veira, foie gras, lagosta cozida e queijo cremoso. Sirva o vinho entre 10 e 12 ºC.

Já vinhos secos e muito aromáticos, como Muscat (Itália, Portugal, Espanha e Austrália), Riesling (Alemanha e Austrália) e Gewürztraminier (Alsácia) vão bem com cozinha que combina especiarias e ervas. Aposte em carne ao curry, queijos com sabor forte como emmenthal e gruyère. A temperatura tem de ficar entre 10 e 12ºC.

O meio-seco e licoroso, assim como Chenin (Loire), Riesling (Alemanha e Áustria ) e Semillon (Sauternes e Austrália) harmoniza com a cozinha clássica ou mais exótica com especiarias, ou na mistura de salgado e doces. Pato com laranja, frango com creme e especiarias, torta de fruta, foie gras são excelentes opções. Sirva entre 8 e 10ºC.

E você, como costuma harmonizar os vinhos brancos?

Por Andressa D’Amatto

Os melhores vinhos brancos você encontra na Sonoma

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aprenda mais sobre o universo do vinho.

Cadastre seu e-email e receba atualizações notícias e promoções

Por favor, verifique seu email.
O que falam da gente

Quer saber mais da Sonoma? Clique em algumas destas matérias para saber mais sobre a empresa.

Close
© 2020 SONOMA. Todos os direitos reservados. Se beber não dirija. Aprecie com moderação. A venda de bebidas alcoólicas é proibida para menores de 18 anos.
Close
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com