Cabernet

A palavra Cabernet denomina inúmeros tipos de uva, começando pelas clássicas Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc, e seguindo pelas novas culturas.

A palavra Cabernet denomina inúmeros tipos de uva, começando pelas clássicas Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc, e seguindo pelas novas culturas como Blanc, Cubin, Cortis, e muitas outras. A mais conhecida, a Cabernet Sauvignon, é tida como uva nobre, sendo o resultado do cruzamento entre Cabernet Franc e Sauvignon Franc. Assim como as demais uvas Cabernet, a Cabernet Sauvignon também vem de Bordeaux, uma região de prestígio entre as produtoras de vinho francesas e mundiais.

Embora tenham o mesmo nome, são notáveis as diferenças entre as Cabernets, tanto na maneira de produzir os vinhos quanto nos sabores e aromas finais. Enquanto os vinhos de Cabernet Sauvignon têm sabor intenso e corpo médio para maior, os vinhos de Cabernet Franc são menos ácidos e tânicos, de corpo mais reduzido. Cabernet Sauvignon pode ser tranquilamente armazenada em barris de madeira, onde adquire características de cedro tostado, madeira e baunilha. Já o Cabernet Franc só deve sofrer este envelhecimento se o processo não comprometer sua delicadeza.

Os amantes brasileiros de Cabernet Sauvignon sabem que, na América Latina, a produção deste tipo de vinho é liderada pelo Chile, um país que vem aprimorando sua produção a cada ano. A grande vantagem do Chile sobre outras regiões produtoras no mundo é que as uvas Cabernet Sauvignon lá cultivadas não sofreram com a praga Phylloxera, que dizimou os vinhedos europeus. Essa praga obrigou muitos países europeus a plantarem Cabernet com enxertos sobre raízes de outras espécies. Mas as espécie europeias podem ser plantadas no solo chileno em “pé-franco”, sem precisarem de enxerto, já que a praga não chegou ao solo sulamericano.

Por Sonoma Brasil


Quer saber mais? Veja também outros artigos relacionados.