Whisky, whiskey ou uísque. Conheça a história dessa bebida, sua origem, seus tipos e categorias.

Do barril aos drinks: o que você precisa saber sobre Whisky

O whisky é um destilado de origem celta. Criado na Escócia, ganhou o mundo do Ocidente ao Oriente. O nome é derivado do galês uisge beatha, e também pode ser escrito whiskey ou, na versão abrasileirada, uísque. O significado se traduz como “água da vida”.

A bebida tem a primeira evidência histórica no ano de 1494, quando o rei da Escócia James IV encomendou ao monge John Cor a produção do destilado à base de cereais maltados.

Com o tempo, o whisky escocês definiu o modo de produção: combinação de 10 a 20% de malte de cevada, somado outros cereais não-maltados cozidos, como milho e trigo. A mistura em água quente desses grãos moídos produz o mosto, base de açúcares. Depois acrescenta-se a levedura para ativar a fermentação.

Em seguida, a bebida é destilada por alambiques que permitem a evaporação e condensação do álcool e logo transferida para barris de carvalho, para serem preservados e envelhecidos por, no mínimo, três anos e podendo alcançar até 30 anos.

Qual a diferença entre whisky, scotch, rye e bourbon?

A diferença entre as designações do whisky levam em consideração a origem e o modo de se produzir. Podemos dizer que o whisky é o nome geral do destilado feito a partir de grãos maltados. No entanto, a denominação de origem tem sido utilizada para garantir a qualidade de produção da bebida, a rigor limitada a Escócia, Irlanda, Estados Unidos, Canadá e Japão. Este último um produtor emergente do destilado de alta qualidade.

O scotch é a denominação de origem da bebida produzida e envelhecida em destilarias certificadas escocesas. Enquanto o bourbon precisa ter 51% de milho em sua composição e tem como local de produção o estado norte-americano do Kentucky. Para ser um rye (cevada), basta que haja a mesma proporção de 51% do grão em evidência.

Qualquer um deles pode ser single malt (feito de malte de uma única destilaria) ou single grain (com vários cereais da mesma destilaria) e mesmo blended (misturas de grãos e barricas).

É errado colocar gelo no whisky?

A resposta curta é não. Absolutamente! Cada um bebe o whisky da forma como preferir, seja no modelo cowboy (bourbon puro) ou em forma de drinks. No entanto, quando se fala em um scotch single malt, as sensibilidades se afloram e o gelo costuma ser um tabu. Sam MacDonald, da Scotch Malt Whisky Society, chegou a dizer que seria preferível até acrescentar um pouquinho de água no lugar, pois a temperatura afeta o sabor.

Na verdade, essa disputa é para puritanos. Mesmo esses, em boa parte, acreditam ser aceitável o uso de cubos ou esferas grandes de gelo, para que a bebida não fique aguada enquanto é degustada.

Quais são os drinks mais famosos feitos com o whisky?

Quem gosta de whisky não necessariamente é fã de coquetéis com base do destilado. Mas vários drinques foram surgindo, especialmente a partir da segunda metade do século 19, o que abriu caminho para muitos novos adeptos. Confira alguns dos drinks mais conhecidos:

Dinks clássicos com whisky

Nesta categoria, os preferidos dos fãs de whisky são o Old Fashioned e o Boulevardier, por preservarem um forte sabor da bebida. Mas o cardápio de clássicos reúnem receitas antigas, como Manhattan, Sazerac e Whisky Sour.

Drinks modernos com whisky

Com o advento das coquetelarias “speakeasy” nos Estados Unidos no início do século 20, surgiram novas receitas, a exemplo do New York Sour (com acréscimo de vinho tinto), o Kentucky Mule (com bourbon no lugar da vodca) e o Penicillin.

Drinks refrescantes com whisky

Aqui, o whisky compõe fórmulas aparecendo com mais sutileza e favorecendo justamente a refrescância. Bons exemplos nesta categoria são o John Collins (com limão), Mint Julep (com hortelã) e Highball, ou Haiboru no Japão: combinações de whisky com bebidas gaseificadas, a exemplo do Jack and Coke e do Whisky e Tônica.

Drink Mint Julep feito com whisky
Drink Mint Julep feito com whisky

Harmonizações de whisky com comida

Versátil, o uísque pode acompanhar uma grande variedade de receitas, da entrada à sobremesa.

Whiskys que passaram por barris especiais, como os de xerez, ganham notas de frutos secos que podem ser a escolha perfeita para acompanhar tábuas de queijos e charcuteria, já que neutralizam perfeitamente o salgado da carne e a cremosidade do queijo.

Frutos do mar, carnes e até verduras defumadas são ótimas combinações para bourbons. Ter um bom sal marinho defumado na dispensa facilita na hora do improviso.

Chocolate amargo é uma boa combinação com uísque. Mas, atenção, quanto mais envelhecida a bebida, mais amargo precisa ser o doce.

Saúde!

Equipe Sonoma

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Aprenda mais sobre o universo do vinho.

Cadastre seu e-email e receba atualizações notícias e promoções

Por favor, verifique seu email.
O que falam da gente

Quer saber mais da Sonoma? Clique em algumas destas matérias para saber mais sobre a empresa.

Close
© 2020 SONOMA. Todos os direitos reservados. Se beber não dirija. Aprecie com moderação. A venda de bebidas alcoólicas é proibida para menores de 18 anos.
Close
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com